CBN - A rádio que toca notícia

ARTIGO

O eleitor de Bolsonaro

Com o filho investigado, Bolsonaro não fala sobre corrupção

07/01/20, 08:24
Por Miguel Dias Pinheiro, advogado, procurador aposentado e ex-professor universitário (foto)

N
a campanha eleitoral de 2018 para a Presidência da República, diziam que estavam cansados da crise econômica, dos escândalos de corrupção e de se sentirem inseguros. Por isso, optariam por votar em Jair Bolsonaro, considerado, veja só, o "mito". De diversas classes sociais, desde a alta até a mais baixa, propalavam pelos quatro cantos do Brasil que Bolsonaro iria impor a ordem e proteger os "cidadãos de bem", defender os “valores da família tradicional” e que, igual a ele, não havia “político mais honesto", que não tinha, inclusive, a família envolvida em crimes e corrupção. Ufa!

Concluída a eleição, constatou-se que Bolsonaro se saiu melhor entre os eleitores de classe alta e escolaridade elevada do que entre os mais pobres. Melhor entre os homens que entre as mulheres. Entre os eleitores com ensino superior completo, mais de 45% votaram em Bolsonaro. Entre as famílias com renda inferior a dois salários mínimos, o “mito” recebeu voto de mais de 25% do eleitorado. E, por último, 51% dos que ganham mais de cinco salários mínimos votaram no “homem honesto”.

Outro segmento em que Bolsonaro recebeu votação significativa foi entre os eleitores evangélicos. Hoje, representados por quase um terço da população brasileira. Que continuam afirmando que Bolsonaro é quem mais defende os bons costumes.

Passado um ano de mandato, a realidade mostra a “face” verdadeira de Bolsonaro. Desrespeitoso, considerado um presidente “boca suja”, afeito a palavrões para desqualificar os outros (seja quem for, do Papa Francisco a Greta Thunberg), encrenqueiro dentro e fora do país, Bolsonaro mostra-se um indivíduo que não tem bons costumes, um deseducado incentivando o desrespeito mútuo.

Passado um ano de mandato, a “ficha criminal” da família do presidente mostrou para o Brasil que pelo menos um de seus filhos não poderá mais ser incluído na lista dos homens decentes e honestos, no rol das pessoas sérias e ilibadas.

Passado um ano de mandato, o Brasil constatou que Bolsonaro não tem nenhum interesse em combater as milícias e a corrupção, as organizações criminosas que têm raízes fincadas no Estado do Rio de Janeiro e espalhadas por todo o País, com envolvimento da própria família, de policiais e de ex-policiais engajados no “Gabinete do Crime”.

Passado um ano de mandato, constatou-se que Bolsonaro assumiu a presidência com um direcionamento muito claro: proteger familiares e milicianos próximos.

Para muitos, o que atraiu na eleição passada foi o discurso dele de combate à violência e à corrupção. No entanto, a violência aumentou e a corrupção insiste em se agravar. Tudo grassa sem punição. Até a Lava Jato não é mais a mesma no governo Bolsonaro. Pesquisas apontam que para a maioria da população brasileira Bolsonaro assumiu como presidente e ninguém não vê nada de resultado positivo. Perdem-se as esperanças. Não se vislumbra, portanto, um bom futuro para o Brasil.

Muito do apoio que Bolsonaro recebeu foi mais por rejeição ao PT do que por merecimento próprio ou identificação com qualquer bom projeto. Aliás, Bolsonaro passou mais tempo da campanha eleitoral deitado num leito de hospital “tuitando” do que apresentando propostas ou plataformas para se eleger presidente da República.

Segundo o economista e pesquisador Maurício Moura, fundador do Instituto Ideia Big Data, muitos eleitores votaram em Bolsonaro sem conhecer bem as ideias do presidente. Votaram no “escuro”, na esperança apenas de derrotar os adversários. Nada mais!

Vejam como eram as frases construídas em 2018 para endeusar o “mito” e provocar emoções: “Precisamos de mudança”; “Chega de PT e de corrupção”; “O Brasil está numa situação econômica terrível”; “Ele vai combater a criminalidade com leis mais duras”; “Ele é temente a Deus e a favor da família”; “Bolsonato vai colocar todos os corruptos na cadeia”; “Bolsonaro é mais honesto que todos”;... Eram alguns dos motivos pelos quais o eleitorado tentava explicar por que votaria em Bolsonaro.

Com o filho investigado, Bolsonaro não fala sobre corrupção.

Para a pesquisadora Esther Solano, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Bolsonaro mostrava-se como uma figura nova, como um outsider, como um antissistema,... Apenas mostrava-se! A realidade, no entanto, mostra outro homem. O Bolsonômetro, por exemplo, ferramenta que reúne afirmações do presidente checadas e contextualizadas, Bolsonaro dá uma declaração falsa ou imprecisa a cada quatro dias. É um fato inédito no mundo em se tratando de um chefe de Estado.

Para a maioria da população consciente, Bolsonaro seria uma espécie de “mitomaníaco”, uma pessoa viciada em mentir, patologicamente desequilibrada, um compulsivo. Pesquisa Datafolha divulgada recentemente aponta que 43% dos brasileiros jamais confiam nas declarações de Bolsonaro. E que 37% dizem que confiam apenas às vezes no presidente. No mundo não há parâmetro para uma avaliação de chefe de Estado como Bolsonaro. É uma excrescência!

Hoje, sem mais as expectativas da eleição passada, sem os sonhos e a emoção contagiante pelo “mito fabricado” para vencer o pleito eleitoral, os eleitores de Bolsonaro agora são assim identificados:

1. Os que perderam quatro eleições presidenciais seguidas e ainda se sentem magoados, preocupados em perder outra;
2. Os eleitores decepcionados com os tucanos FHC, José Serra, Geraldo Alckmin e Aécio Neves;
3. Os pefelistas e ex-pefelistas que com a extinção do PFL disseminaram-se em agrupamentos políticos distintos sem norte;
4. Os milicianos, maus policiais e os criminosos das redes sociais;
5. Os políticos sonegadores, devedores contumazes da Previdência, do BNDES, do Banco do Nordeste, etc., etc.;
6. Os maus empresários que querem lucrar pagando salários miseráveis, sem pagar direitos e obrigações sociais;
7. Os banqueiros de corações duros como pedra, os malvados rentistas do capitalismo;
8. Por fim, os bolsonaristas que querem convencer e abrigar tarados de todos os tipos.

Toda essa gente tem um capital educacional para saber o que estava e está em jogo. Conscientemente, fez - e continua fazendo - a opção por uma “coisa” autoritária, completamente desqualificada para que seja estabelecida no Brasil uma anarquia institucional, com o desnivelamento social. Na verdade, veem em Bolsonaro uma oportunidade para legitimar antigos preconceitos contra a “gentalha” brasileira, o populacho, a corja, a escória, a plebe, a ralé, o zé-povinho que eles odeiam. Lembremos, a propósito, da frase histórica do pefelismo assumido e enrustido: “Nunca se sabe que tipo de “gentinha” pode vir da rua”.

É toda essa gente que projetou - e continua projetando – o preconceito, a discriminação, a raiva e o ódio no Brasil. Muito lastimável! E que sempre joga a culpa nos outros. Ainda que como “falsos moralistas”, diga-se de passagem. Procura - ainda que como cúmplice de um passado político sujo - desacreditar a classe política como um todo com o carimbo na testa da “culpa no cartório”.

“O bolsomínion de raiz, por exemplo, é um psicopata perigoso e se você tiver um perto de você, cuidado! São sociopatas tenebrosos. Muitos são tarados, pedófilos, nazistas, racistas, violentos, enfim, ameaças à sociedade. O núcleo duro do eleitorado de Bolsonaro é composto pela essência de tudo que há de ruim na sociedade brasileira. Os eleitores e apoiadores mais fanáticos de Bolsonaro são, em geral, pessoas extremamente perigosas. O que o Brasil precisa entender é que Bolsonaro não se encerra em si mesmo. As forças que o elegeram, entre grandes empresários, sonegadores, latifundiários e toda a escória correlata, é talvez até mais perigosa do que ele, porque Bolsonaro vai passar, mas essa gente vai continuar solta por aí. O Brasil precisa ficar atento a essas hordas que acompanham Bolsonaro”, avalia o jornalista Eduardo Guimarães.

Fonte: JL
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
26/02/20, 16:45 | QUARESMA - Campanha da Fraternidade 2020: CNBB alerta contra indiferença e violência
26/02/20, 16:41 | CRISE - Ceará cria comissão para tentar intermediar fim do motim de policiais
26/02/20, 16:38 | INTERNACIONAL - América Latina em alerta após confirmação de coronavírus no Brasil
26/02/20, 14:35 | POLÍTICA - Pimenta: “É hora de dizer basta, ou a história vai cobrar o silêncio”
26/02/20, 14:30 | POLÍTICA - Renan Calheiros: “a cara medonha do monstro [Bolsonaro] está exposta”
26/02/20, 14:24 | POLÍTICA - Maia sobre Bolsonaro: “Criar tensão institucional não ajuda o país a evoluir”
26/02/20, 13:21 | DESFILE - Águia de Ouro vence o carnaval em SP com homenagem a Paulo Freire
26/02/20, 13:17 | POLÊMICA - Bolsonaro quer abolir multa para empresas que praticam racismo e homofobia
26/02/20, 13:11 | POLÍTICA - Parlamentares cobram resposta de Maia e Alcolumbre contra presidente
26/02/20, 13:04 | ARTIGO - A decisão de Firmino Filho
26/02/20, 13:01 | POLÍTICA - Lula: É urgente que o Congresso e a sociedade se posicionem em defesa da Democracia
26/02/20, 12:58 | EDUCAÇÃO - ProUni: selecionados na 2ª chamada podem comprovar dados até sexta
26/02/20, 12:54 | SAÚDE - Ministério da Saúde confirma primeiro caso de coronavírus no Brasil
26/02/20, 12:31 | REAÇÃO - Celso de Mello, ministro do STF, aponta crimes de responsabilidade de Bolsonaro: “Face sombria de um presidente”
26/02/20, 07:50 | SAÚDE - Especialistas publicam cartilha online sobre novo coronavírus
26/02/20, 07:47 | SAÚDE - Caso suspeito no Brasil de coronavírus é monitorado pelo Ministério
26/02/20, 07:44 | SAÚDE - Novo coronavírus esvazia igrejas e museus de Milão, na Itália
25/02/20, 14:30 | FOLIA - Catador de latinhas espera na fila para abraçar boneco de Lula no carnaval de Olinda e emociona redes sociais
25/02/20, 14:01 | MOTINS - Sobe para 170 número de assassinatos durante motim de policiais no Ceará
25/02/20, 12:18 | INTERNACIONAL - Pânico por coronavírus esvazia ruas da Itália, segundo brasileiros
25/02/20, 12:01 | CARNAVAL - VEJA O VÍDEO: União da Ilha coloca a turma de Bolsonaro no vaso sanitário
25/02/20, 11:54 | INTERNACIONAL - Hillary Clinton: “Trump encorajou líderes autoritários como Bolsonaro”
25/02/20, 11:47 | CARNAVAL - Aline Riscado brilha na estreia como rainha de bateria da Vila Isabel na Sapucaí
25/02/20, 11:10 | CARNAVAL - Atriz Malu Mader: “É só cinema fechando e igreja abrindo”
25/02/20, 10:44 | INTERNACIONAL - Coronavírus: OMS pede ao mundo para se para 'potencial pandemia'
25/02/20, 10:38 | CRISE - Líderes do terrorismo da PM no Ceará são bolsonaristas
25/02/20, 08:58 | SAÚDE - Novo coronavírus já infectou mais de 80 mil pessoas no mundo
25/02/20, 08:54 | CARNAVAL - São Clemente leva para Sapucaí Bolsonaro enganador, fake news e laranjal
25/02/20, 07:33 | POLÍTICA - No Ceará, Sérgio Moro agiu como capanga do bolsonarismo
25/02/20, 07:30 | INTERNACIONAL - Coronavírus cancela circuito mundial de natação paralímpica na Itália
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site