CBN - A rádio que toca notícia

ARTIGO

O bolsonarismo é o maior inimigo do nosso país

"Os bolsonaristas não têm limites. Graças ao capitão já se sabe hoje quem são os brasileiros que se sentem à vontade numa ditadura e, por isso, querem intervenção militar", escreve o jornalista Ribamar Fonseca

30/07/20, 18:01

Por Ribamar Fonseca, jornalista e escritor (foto)

T
odos sabem que nada acontece sem a permissão de Deus. Diante disso, não é difícil concluir que se Bolsonaro foi eleito Presidente da República é porque Deus permitiu. Então surge a inevitável pergunta: por que Deus permitiu a eleição de um sujeito arrogante, autoritário, racista, homofóbico, negacionista e despreparado para o cargo? A resposta não parece difícil: como Deus não faz nada de inútil certamente a eleição do capitão teve um objetivo útil. Mas, qual? Ele tornou possível identificar quem é quem no Brasil, permitindo a separação do joio do trigo: atraiu das trevas todos os que pensam exatamente como ele e que estavam escondidos em todos os setores de atividades. São os afins. Confirmou, assim, o enunciado da Física, segundo o qual “os semelhantes atraem semelhantes”. E conseguiu provocar uma divisão até nas famílias, onde sempre tem um bolsonarista fanático que segue o capitão em todas as suas atitudes, mesmo nas mais malucas e irresponsáveis, como recomendar cloroquina até para as emas do palácio.

Na verdade, justiça seja feita, ele nunca enganou ninguém, nem mesmo na campanha eleitoral. Mostrou-se de corpo inteiro, racista, homofóbico, defensor de torturas, arrancando entusiásticos aplausos nos comícios quando simulava armas com as mãos e anunciava a intenção de matar petralhas e comunistas. As mulheres, surpreendentemente, eram as mais entusiasmadas. Ele cumpriu a sua promessa de campanha, de facilitar a posse de armas e hoje, como consequência, proporcionou a criação de arsenais particulares, aumentando  o índice de homicidios no país. Depois da sua posse a violência cresceu e seus apoiadores se acham liberados e fortalecidos para insultar e ameaçar seus opositores. Nem os membros da Corte Suprema escapam da fúria deles. Uma advogada gaúcha chegou a recomendar o estupro e morte das filhas dos ministros do Supremo. Os bolsonaristas não têm limites. Graças ao capitão já se sabe hoje quem são os brasileiros que se sentem à vontade numa ditadura e, por isso, querem intervenção militar. 

Surpreendentemente, recentes pesquisas revelam que se a eleição fosse hoje Bolsonaro se reelegeria. Segundo essas pesquisas (Paraná e Fórum) ele tem a preferência de quase metade da população, batendo todos os concorrentes no segundo turno. Se essas pesquisas refletem efetivamente a realidade então vale a pena perguntar: será  que metade do nosso povo é masoquista? Ou, então, ainda não sofreu o suficiente para aprender a votar. Neste caso, o capitão precisa mesmo permanecer no Palácio do Planalto pelo menos mais um mandato pois os seus seguidores, aparentemente, ainda não sofreram na pele as consequências da sua desastrosa administração. Ou, então, estão anestesiados pela indústria de fakenews que é a base de sustentação do seu governo. Certamente por isso Bolsonaro mandou a Advocacia Geral da União recorrer ao Supremo contra o bloqueio dos perfis de bolsonaristas nas redes sociais, determinado pelo ministro Alexandre de Moraes. 

Sem o menor pudor, o capitão assume a defesa dos responsáveis pela indústria de fakenews que diariamente inunda as redes sociais de noticias falsas. Além de contrariar as finalidades da AGU, Bolsonaro confessa com essa ação que sempre esteve por trás da indústria de fakenews, cujos operadores tem até gabinete no Palácio do Planalto, o chamado “gabinete do ódio”. Ele sabe que a determinação do ministro Alexandre de Moraes, que conduz o inquérito  das fakenews no Supremo, quebrou a espinha do seu esquema, dificultando a sustentação das mentiras que afetaram a cabeça dos seus apoiadores. Por isso, mesmo se expondo, não hesitou em atropelar a AGU para defender seus interesses e dos “faketeiros” que até pouco tempo agiam covardemente no anonimato, destruindo reputações e fazendo ameaças. Agora vai ficar mais difícil, por exemplo,  alardear a realização de obras que não são dele, enganando os tolos que acreditam em tudo o que é veiculado na internet.  

Uma outra pesquisa recente aponta Bolsonaro como o segundo melhor presidente do Brasil, depois de Lula.  Realmente é inacreditável o poder das fakes, pois em um ano e meio de governo o capitão não fez absolutamente nada que possa produzir benefícios ao país e seu povo. Auxilio emergencial? É iniciativa do Congresso. Enquanto isso o coronavírus vai matando muito mais gente do que seria natural se houvesse uma coordenação do Ministério da Saúde no combate à doença, o que não acontece porque a pasta tem no comando um general da ativa que não entende nada de saúde e, ainda assim, ignora os alertas dos técnicos. Ele está perfeitamente afinado com o capitão que, mesmo sem ser médico, receita cloroquina para as vítimas da pandemia, exibindo caixas do medicamento como um troféu, até para as emas do Alvorada, o que provoca suspeitas sobre sua sanidade mental, pois nenhum Presidente da República em seu juízo perfeito teria tal atitude. 

Embora as eleições presidenciais ainda estejam distantes, Bolsonaro, com apenas um ano e meio de governo, já está empenhado na sua reeleição, o que se acontecer poderá significar a falência do nosso país. Por isso, é importante o apoio às decisões do ministro Alexandre de Moraes no combate às fakenews, pois a permanência dessa indústria de mentiras pode alimentar a ilusão dos bolsonaristas quanto ao seu ídolo.  Além disso, a militarização do governo, onde mais de dois mil militares ocupam cargos civis, a começar pelo Gabinete Civil da Presidência, ocupado por um general, pode fortalecer o sonho de intervenção que vem sendo alimentado por bolsonaristas,  inclusive dentro das próprias Forças Armadas. O capitão sabe disso e, para garantir o apoio militar, já projeta aumentar o salário da tropa, contrariando as declarações de dificuldades financeiras do governo.   

Por outro lado, a blindagem do ex-juiz  Sergio Moro continua intacta, mesmo depois dele deixar o Ministério da Justiça. Há tempos o julgamento da sua suspeição vem sendo procrastinado pelo Supremo Tribunal Federal que, agora, por decisão do ministro Gilmar Mendes, foi adiado mais uma vez para depois da pandemia. Aparentemente o ex-juiz, mesmo não tendo mais nenhum poder,  continua atemorizando a Corte Suprema que, desde o seu tempo na Lava-Jato, não tem coragem de decidir contra ele. No fundo o objetivo, mesmo, é evitar que o ex-presidente Lula seja beneficiado, pois a suspeição do ex-ministro implicará na anulação da sua condenação.  Pelo visto, portanto, se depender do STF o ex-presidente continuará injustiçado por uma farsa montada para impedi-lo de voltar ao poder. Enquanto isso o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, manda arquivar todos os inquéritos contra ministros do STJ e do TCU. Dois pesos e duas medidas. Uma beleza.

Fonte: JL
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
18/09/20, 18:44 | INVESTIGAÇÃO - PF investiga financiamento do governo a sites com conteúdos ‘antidemocráticos’
18/09/20, 18:29 | ESPORTE - Tite anuncia convocados para início das Eliminatórias da Copa de 2022
18/09/20, 16:18 | POLÍTICA - Vaza a pergunta que Moro faria para Bolsonaro no depoimento à PF
18/09/20, 15:27 | POLÍTICA - Brasília já tem outdoor com frase do discurso histórico de Lula: “Vamos juntos reconstruir o Brasil”
18/09/20, 15:20 | ECONOMIA - Desemprego dispara e atinge 13,7 milhões de brasileiros, diz IBGE
18/09/20, 15:16 | EDUCAÇÃO - “Professores trabalham mais e ainda enfrentam descaso do governo”, diz coordenadora da Contee
18/09/20, 15:10 | SUSTO - Por causa de fumaça de incêndios, avião com Bolsonaro arremete em MT
17/09/20, 22:02 | DESORIENTADO - Bolsonaro diz que pediu para MEC orientar estados a retornarem às aulas
17/09/20, 21:59 | PANDEMIA - Mundo ultrapassa 30 milhões de casos da Covid-19
17/09/20, 21:54 | POLÍTICA - Lula é o único que empataria com Bolsonaro no segundo turno em 2022, diz pesquisa
17/09/20, 21:46 | POLÍTICA - Bolsonaro ataca professores e diz que eles não querem trabalhar
17/09/20, 21:43 | INFRAÇÃO DISCIPLINAR - CNJ pune Bretas com censura e congelamento de promoções
17/09/20, 21:36 | INVESTIGAÇÃO - Candidata branca é aprovada na PF em cota para negros após se pintar para tentar burlar processo
17/09/20, 10:34 | POLÍTICA - Reforma administrativa de Bolsonaro também vai enfraquecer o mercado, diz economista
17/09/20, 10:30 | POLÍTICA - Entidades e parlamentares realizam ato virtual nesta quinta-feira contra os cortes no orçamento da Educação
17/09/20, 10:24 | POLÍTICA - Bolsolula: Bolsonaro chega ao Nordeste querendo ser Lula
17/09/20, 05:31 | POLÍTICA - Seduc e Sesapi promovem formação sobre protocolo de saúde
17/09/20, 05:03 | RECOMENDAÇÃO - CNJ se irrita com decisão política de Fux pró-Lava Jato
17/09/20, 05:00 | PANDEMIA - Associação de médicos diz que não retomará trabalhos nas agências do INSS
17/09/20, 04:55 | CRIME - Senadores vão ao Pantanal acompanhar incêndios e prometem mudança na legislação
17/09/20, 03:28 | INVESTIGAÇÃO - PF intima Carlos e Eduardo Bolsonaro para depoimentos sobre atos golpistas contra o STF e Congresso Nacional
16/09/20, 16:32 | POLÍTICA - Presidente da Câmara dos Deputados testa positivo para Covid-19
16/09/20, 16:26 | CRISE - Celebridades entram em greve contra Facebook e Instagram
16/09/20, 16:23 | INTERNACIONAL - ONU quer investigar violações de direitos humanos no Brasil
16/09/20, 15:34 | INVESTIGAÇÃO - Líder de Bolsonaro é suspeito de receber propina da Queiroz Galvão
16/09/20, 15:29 | MEIO AMBIENTE - Onças com patas queimadas e animais carbonizados ‘são a imagem do Brasil sob Bolsonaro’
16/09/20, 15:19 | CARTA - 8 países da Europa dizem que desmatamento dificulta comércio com Brasil
16/09/20, 15:16 | POLÍTICA - AGU: cabe a Câmara e Senado decidir sobre reeleição de presidentes
16/09/20, 14:12 | INVESTIGAÇÃO - PGR investiga rachadinha no gabinete de Bolsonaro na Câmara dos Deputados
16/09/20, 13:42 | POLÍTICA - Coração de pedra, Bolsonaro corta Auxílio Emergencial de 6 milhões de pessoas
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site